quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Homossexualidade é doença?


Bom, primeiramente, fora Temer eu acho impressionante essa capacidade que o Brasil tem de retroceder, acho que nos enfiaram em uma máquina do tempo sem sabermos(a diferença é que hoje em dia existem vários movimentos, muito mais apoio e posicionamento sobre minorias, negros e etc) porque não é possível que a essa altura do campeonato, em pleno séc. XXI, estão afirmando que homossexualidade é doença, estão se organizando para matar candomblecistas, e tem uns GÊNIOS defendendo a teoria da Terra plana (que foi invalidada a tanto tempo que eu só consigo pensar que essas criaturas estão zuando mesmo ou não sabem nem o que diabos é um livro de ciências muito menos de filosofia, nunca ouviram falar), o que só me confirma que o ser humano quando vê que pode evoluir, mudar, agregar, pluralizar... quando vê que tem potencial de realmente sair do lugar, ele avacalha, quando vê que pode dar um pulo pra frente ele dá cinco passos pra trás, nesse caso, andamos uns 50km pra trás mesmo porque PUTA QUE PARIU eu acho IMPRESSIONANTE que dados científicos só servem quando são pra falar que gay e lésbica é tudo traumatizado "Foi tudo abusado na infância." ME POUPEM, SE POUPEM, NOS POUPEM. POR FAVOR! NÃO EXISTE CURA PARA O QUE NÃO É DOENÇA! Por que, invés de ficar se preocupando com o cu e a boceta alheios relacionamento amoroso e interesse sexual dos outros, vocês não vão se dedicar à cura de alguma doença real tipo o câncer? Também poderiam estar se preocupando em dar apoio às recentes vítimas do furacão Irma, ou refugiados islâmicos, OU AS CRIANÇAS AFRICANAS QUE PASSAM FOME TODOS OS DIAS, OU TALVEZ QUEM SABE A PORRA DOS ANIMAIS QUE SÃO TORTURADOS A VIDA INTEIRA(que por acaso duram muito menos do que deveriam pelos maus tratos) SÓ PRA VOCÊS TEREM SUAS CARNINHAS AÍ NA MESA.
Só para vocês saberem mesmo: assim como um hetero não "vira" gay, o contrário também não acontece, viado nasce viado e morre viado. Uma pessoa que toda hora diz que é de uma sexualidade diferente no mínimo tá se descobrindo ainda, ou só é desinformada mesmo e não sabe como se definir. Mas não existe essa história de reversão sexual. NÃO. EXISTE! Sexualidade não é uma escolha, não é algo que se aprende nem algo que se muda e os vários tipos de repressões, punições e testes já feitos desumanamente quebrando qualquer tipo de ética, acredito eu, que são mais do que suficientes pra esclarecer isso, não há cura! Não é doença! Sem contar que não é algo que existe somente entre humanos, eu mesma nem aguento mais ver foto rolando pela internet de dois leões transando, isso mesmo, os leões, os reis da selva, e não é só com leão isso não, comportamento homoafetivo é observado em várias outras espécies de mamíferos já há tempos, como golfinhos, alguns primatas, ovelhas, varias espécies de aves também, e até mesmo alguns insetos e répteis, ou seja, homossexualidade nada mais é do que algo completamente natural e essa ideia de que só pode macho com fêmea não passa de uma construção social preconceituosa e ignorante. A única lei da vida é vivê-la do modo que lhe for mais confortável.
Então bebê, se você, caro leitor, acredita que algo referente a outras pessoas, como a sexualidade e crença delas, é errado simplesmente porque não cabe ao seu mundo limitado, simplesmente porque é diferente do que se refere a você, sugiro que pesquise muito e estude sociologia.

domingo, 16 de abril de 2017

Retorno

Depois de décadas sumida: voltei u.u com um texto que já até postei no meu Facebook, mas enfim, textinho para refletir.

Vida (título provisório)

Costumava sentir-se grande demais para um mundo tão pequeno, inteiro demais, completo, intenso, complexo, profundo... Tão profundo que se afogou, afundou em seu coração e, dentro das profundezas de sua alma, ele sentiu-se pequeno demais, o seu mundo tornou-se grande demais para sua pequena existência confusa, ele nadou até a superfície e decepcionou-se pois apenas o caos encontrou.
Em meio há tanta destruição ele encontrou uma flor que sobreviveu e resistiu a todo aquele pandemônio, ele a acolheu e a amou, mas ele chovia demais, era tempestuoso demais e seus raios destruíram a flor e ele.
Queimado demais para mover-se sem sentir dor, ele deitou-se em seus mais profundos arrependimentos até que o sol sorriu e o acendeu como nunca, então ele, mesmo ainda queimado, seguiu o olhar brilhante do sol e o acompanhou tropeçando a todo o tempo, persistindo, porém, o calor do sol era demais para suas queimaduras.
Ele caiu em um abismo e os olhos fechou, quando tornou a abri-los encontrava-se em uma sala escura, curado de seus ferimentos, mas completamente perdido.
Ele abriu a porta da sala e deparou-se com o retrato de si próprio há tempos atrás, observou-o, era realmente ele? Aquela pessoa era mais bonita, radiante, inteira, neste momento sentia-se pequeno e desgastado, estava cansado demais para andar, para continuar com o que quer que tenha começado.
Durante esse período sofrido ele teve um motivo para ignorar suas dores e continuar andando, mas naquele momento só via aquela foto que apenas o lembrava de um passado ao qual nunca retornaria.
Ele colocou a mão no bolso e tirou algo, era um espelho, ele observou-se: destruído demais, perdido e sem ideais, "O que eu faço agora?", pensou. Olhou bem para o surgimento cautelosamente esplendoroso da noite selvagem que engolia a luz do dia por inteiro na janela ao lado, lembrou da flor que o deu esperança e o sol que o deu vida.
"Ok.", ele disse. Então ele chutou sua antiga imagem e seguiu em direção ao total desconhecido com apenas seu reflexo no espelho e seu desejo de viver para sentir todas as outras dores, amores e alegrias que lhe poderiam ser oferecidas.