terça-feira, 22 de julho de 2014

Poesia

Então gente,já tem um bom tempo aí que eu não posto absolutamente nada né... Mas tudo bem... Resolvi postar essas poesias que fiz faz um tempo... Só pra não parecer que eu abandonei o blog...

Desespero

Estou em um poço sem fundo
Não paro de cair
Minha alma confusa e sombria grita
Isso está me consumindo
Morrendo aos poucos
De um jeito doloroso
Continuo caindo
A batalha está sendo perdida
Mas a guerra está por vir
Meu peito o ódio está a dominar
Tenho que lutar
Mas o fundo não chega
Não tenho forças para continuar
Meu corpo não vai aguentar
Tento gritar
Mas ninguém vê meu desesper
Ninguém ouve meus chorors
Ninguém percebe minha angústia
Ninguém se importa
A noite sou livre
De dia estou presa
Minha alma está me abandonando
Não me sinto mais tão viva

Esperança

Retire essa adaga de meu peito
Minha cabeça lateja
Meu coração se acelera
Minha mente gira
Não consigo encontrar a saída
A saída da realidade
Preciso acabar com essa confusão
Mas ainda não encontrei minha alma
Estou encurralada
Não tenho como fugir
Feita de porcelana
Posso quebrar a qualquer momento
Fui atingida no pescoço
Posso ouvir meu desespero
Ecoando em meio a árvores sombrias
A lua observa meu sofrimento
Sua luz clareia a poça de sangue no chão
Faz meus olhos brilharem feito diamantes
Sinto meu corpo dissolvendo-se
Minhas cinzas indo aos céus
Brilhando com as estrelas
Uma nova constelação
Uma nova esperança
Minha alma perdida
Encontra um novo caminho
Talvez enfim a paz seja encontrada
Talvez a guerra continue
Um coração partido ou dois
Podem ser consertados

Nenhum comentário:

Postar um comentário