terça-feira, 18 de março de 2014

Poesia


Um Interior Sombrio


Não paro de cair
Estou em um poço sem fundo
Memórias,lembranças
Sussurram em meus ouvidos
Mas não quero ouvir
Não quero lembrar
De repente
Me vejo em um lugar estranho
Sombrio
Minha mente
Como pode ser eu?
Então caio outra vez
Encontro-me cercada
Por chamas
Chamas que machucam meu coração
Despedaçado
Fecho os olhos
E vejo teu rosto
Observando-me
Chamando-me de louca
Deixe-me
Fuja!
Nas trevas é meu lugar
Deixe-me sozinha
Com meus pensamentos
E ficarei bem

Acabei de escrever...

Nenhum comentário:

Postar um comentário